Montanha Russa Emocional do Empreendedor

Como lidar com as fortes emoções que aparecem quando se é empreendedora?
Esses altos e baixos que muitas vezes nos tornam entusiastas, inspiradas, e também improdutivas, descrentes e até desesperadas. Tome consciência deles e aprenda a lidar com a Montanha Russa Emocional do Empreendedor.

Este artigo foi escrito pelo meu amigo Luiz Gustavo Schroeder Vieira.


Não é novidade para ninguém que toda e qualquer pessoa na face da Terra tem altos e baixos. Mas o que às vezes parece surpreender as pessoas é a trajetória do Empreendedor. Não sei se isso acontece com você, mas com certeza já aconteceu inúmeras vezes comigo, inúmeras vezes num mesmo espaço de tempo, e o pior, parece ser intensificado quando você está na pior: e aí, como está a empresa?

Essa pergunta é o suficiente para você ficar nervoso e encabulado e optar por utilizar a melhor estratégia ensinada por Sun Tzu no seu livro A arte da guerra: “Quando estiver forte, pareça estar fraco e quando estiver fraco, pareça estar forte”. Aí você solta aquele baita migué: “Nossa, estamos muito bem, crescendo, novos desafios, projetos a mil e trabalhando bastante! Nem tenho mais final de semana e feriados”.

Parece que esse negócio de “não tenho mais final de semana e feriados” glamurisa o empreendedor. Parece que esse negócio de “o cara trabalha das 8 às 20h todos os dias” engrandece o homem. É que nem BBB, parece que o cara que mais se arrebenta, é o queridinho, o empreendedor nato.

Eu lembro quando trabalhei na EDS, atual HP, em projetos offshore onde, conversando sobre empreendedorismo com meu gerente, ele me disse uma coisa que vem à tona todas as vezes que meus negócios não vão lá essas coisas: “Gustavo, todos as pessoas no mundo tem que tentar empreender mas também tem que aprender que empreendedorismo não é pra todo mundo. Eu tentei, vi que não era pra mim e segui minha carreira profissional.”

Essa frase sempre veio como uma maldição na minha cabeça, toda vez que algo sai errado eu pensava: “Putz, será que eu devo voltar ao mercado de trabalho? Será que empreender não é pra mim?” e vem acompanhado dos conselhos: “Você daria um ótimo profissional, por que não vai procurar algo mais estável?”.

Enfim, isso não é novidade para ninguém, mas vou dividir com vocês algo que me deixou, de certa forma, mais tranquilo em relação aos altos e baixos da minha carreira empreendedora. Eu vi esse conceito no site da Possibility.CA, parceira dos cursos do Michael Gerber, onde ele fala da Montanha Russa Emocional do Empreendedor:

Se perceberem na imagem acima, a frase maldita que vem na minha cabeça, é praticamente a versão em português da “I’m not good enough, I can’t do this. It will never work” da imagem acima. Ou seja, eu achei que isso só acontecia comigo, que a vida dos empreendedores de sucesso eram sempre glamorosas, ledo engano. Do empreendedor mais bem sucedido ao mais iniciante, todos passam por isso. Então, a partir de agora, pode ficar mais tranquilo. Sucesso!


Escrito por: Luiz Gustavo Schroeder Vieira
29 anos, graduado em Sistemas da Informação (UFSC) pós-graduado em Marketing Estratégico (ESPM). Atendeu grandes clientes do mercado nacional com sua ex-empresa de desenvolvimento de sistemas. Coordenador de Relacionamento da ADVB Jovem. Co-fundador do Saída VIP, responsável pela área comercial e de gestão da empresa e dá suporte às atividades de Desenvolvimento e Financeiro. Co-fundador da Le Petit Papillon - Semi Jóias, responsável pela área de Marketing e Tecnologia