O valor do amanhã

upload.jpg

Aprendi que nem sempre ganhar é vencer.

E nem sempre perder é ruim.  

Na maioria das vezes temos a chance de ganhar. Se apertar o cerco, empurrar e forçar a barra, fazer chantagem, enganar aqui, manipular ali, colocar tudo em risco, enfim, há boas chances de vencer.

E na maioria das vezes vencer dessa forma é realmente perder.

Perder sua dignidade, seu autorespeito, sua paz, seu poder pessoal, sua reputação.

Os antigos Samurais, guerreiros autênticos, carregavam um pequeno punhal na cintura que, em caso de desonra ou violação da sua parte, ele mesmo cometeria suicídio. Essa era parte do seu código de honra, demonstrando coragem, controle e dignidade de caráter.

Claro que, hoje em dia isso não seria viável ou necessário. Mas, desde o meu ponto de vista, o que o mundo precisa é de mais consciência pesada.

Arranjar desculpas pra ficar de consciência leve por seus erros e atitudes inconsequentes não resolve nenhum problema.

Usar "analgésicos"  para aliviar sua tristeza sua dor e o peso de decisões ruins, também não ajuda a melhorar as coisas.

Mentir pra si mesmo, enganar o terapeuta, contar histórias e criar um "personagem social", definitivamente não fará sua alegria durar por muito tempo.

Uma vez, minha primeira Coach, uma mulher experiente e sábia me disse: "usar máscara, cansa".

Gastar energia tentando ser algo que não se é, cansa.

Acreditar nas suas próprias mentiras, também.

Uma hora, a verdade vem a tona.   Ela retorna pra você. Mais cedo, ou mais tarde, faz rever toda sua vida. Todo sentimento envolvido.

A verdade não precisa de proteção, a mentira que precisa. 

Melhor lidar com a cruel verdade, se for o caso e, isso sim é ter estômago, coragem e poder.

O valor do amanhã, é construído no hoje.  

Conexão e confiança são construídas com o tempo.

O tempo da transformação, o tempo da experiência vivida.